DPE-PR promove capacitação para atendimento a pessoas com deficiências para profissionais que atuam em Curitiba
19/09/2022 - 17:51

A Defensoria Pública do Estado do Paraná, com o apoio da Prefeitura Municipal de Curitiba, promoveu na tarde desta segunda-feira (19) o “Curso de capacitação sobre a pessoa com deficiência – conceitos e boas práticas de atendimento” para profissionais que atuam na instituição, com o objetivo de promover o conhecimento sobre a temática da pessoa com deficiência a defensores(as), servidores(as) e estagiários(as) da DPE-PR e eliminar preconceitos, estereótipos, estigmas e discriminações nos atendimentos a esta população.

A abertura do curso contou com a presença do defensor público-geral do Estado, André Giamberardino, que destacou a importância do Plano de Ação de Acessibilidade e Inclusão da Pessoa Com Deficiência, lançado pela DPE-PR neste mês (saiba mais na matéria relacionada ao final deste texto). “A palavra da Defensoria é inclusão, é respeito, é dignidade, então, nós precisamos qualificar o nosso atendimento para que as pessoas com deficiência sejam atendidas da forma mais correta possível. Por isso fazemos esse evento de capacitação dos nossos servidores e servidoras, para qualificar e otimizar esse atendimento”, explicou o defensor-geral.

Patrícia Mendes, defensora pública coordenadora do Centro de Atendimento Multidisciplinar (CAM) de Curitiba - setor responsável pelo primeiro atendimento, e que recebe, portanto, o maior número de usuários(as) da DPE-PR em todo o estado - participou do curso e destacou a importância da capacitação para que o público interno da instituição possa fazer uma reflexão sobre a necessidade de atender as pessoas com deficiência de maneira adequada. “Esse curso é muito importante para que a gente consiga dar um atendimento adequado às pessoas com deficiência que nos procuram e aprender coisas que, para essas pessoas, às vezes, são o mínimo, mas que a gente não consegue alcançar justamente por não ter qualificação, por muitas vezes não ter contato tão direto com esse público, e com tanta frequência. Esse curso traz reflexão e indicações do que a gente pode fazer para melhorar tanto a estrutura física das sedes como o atendimento dessas pessoas”.

Teoria e prática - O curso foi dividido em dois momentos: uma apresentação teórica de pontos importantes sobre as pessoas com deficiência, como categorias de deficiência e suas especificidades, terminologias adequadas, garantia dos direitos humanos das pessoas com deficiência e a legislação brasileira que protege esses direitos. No segundo momento, os(as) participantes realizaram dinâmicas de sensibilização e puderam sentir um pouco do que é ser uma pessoa com deficiência intelectual, ou cega, surda, autista ou cadeirante. Após a dinâmica, houve um bate-papo sobre como as pessoas sentiram essas experiências e o que podem fazer para atender as pessoas com deficiências da melhor maneira possível.

“A dinâmica de sensibilização possibilita que as pessoas vivenciem experiências muito diferentes de seu cotidiano e, vivenciando essas experiências, elas têm mais facilidade de se colocar no lugar do outro. Cada pessoa com deficiência tem as suas particularidades e quando a gente vivencia essas experiências fica mais fácil imaginar - e apenas imaginar! - como é o dia a dia dessas pessoas”, explica Flavia Portela, assessora para Assuntos de Acessibilidade e Inclusão da DPE-PR e pessoa com deficiência visual.

Parceria com a Prefeitura - O curso foi aplicado pelo Departamento dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Prefeitura de Curitiba, e a diretora do órgão, Denise Maria Amaral de Oliveira Moraes, manifestou o seu contentamento ao ver que cada vez mais instituições públicas se preocupam em aprimorar o atendimento às pessoas com deficiência. “Até que enfim a inclusão e a acessibilidade estão acontecendo de verdade”, declarou em seu discurso de abertura do evento.

“Eu costumo falar que pessoas com deficiência, antes de mais nada, são pessoas. Na sociedade nós temos muitas pessoas com deficiência, e com todos os tipos de deficiência: física, auditiva, visual, intelectual, transtorno do espectro autista… E essas pessoas têm as mesmas necessidades que todas as outras pessoas, então elas também usam a Defensoria Pública. E foi muito bacana nós nos aproximarmos desta instituição, todos os servidores e servidoras precisam saber como lidar adequadamente com essas pessoas para não serem capacitistas”, explicou a diretora.

O curso foi realizado pela Assessoria de Projetos Especiais (APE), em parceria com a Escola da Defensoria Pública do Paraná (EDEPAR) e com o Departamento dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Prefeitura de Curitiba. A equipe da Prefeitura que ministrou a palestra e aplicou as dinâmicas foi formada pela diretora Denise Moraes, pelas servidoras Débora Hagemeyer, Fernanda Primo, Fernanda Moletta, Flavia Caron, Mariana Cavalcante, Sandra Mathias e Sonia de Paula e pelo estagiário Augusto Schimuda.