• Flickr
  • Youtube

Defensoria

24/09/2021

DPE-PR encerra o “IV Congresso Brasileiro de Atuação Interdisciplinar nas Defensorias Públicas"

A Defensoria Pública do Estado do Paraná (DPE-PR), na tarde desta sexta-feira (24), encerrou o “IV Congresso Brasileiro de Atuação Interdisciplinar nas Defensorias Públicas". O evento aconteceu durante os dias 22, 23 e 24 de setembro de forma remota, com transmissão ao vivo pelo canal do YouTube. 

Neste ano, o Congresso teve como tema os “Desafios e Perspectivas para a Garantia de Direitos Fundamentais em Contexto de Pandemia e na Atual Conjuntura Brasileira”. A mesa de encerramento virtual teve como mediadora a coordenadora do Núcleo Itinerante de Questões Fundiárias e Urbanísticas (NUFURB), Olenka Lins e Silva  da DPE-PR.

A primeira palestrante da tarde foi a líder indígena, Sônia Guajajara, formada em letras, enfermagem e especialista em educação especial pela Universidade Estadual do Maranhão. Sônia comentou sobre a importância da representação indígena e dos desafios que essa população enfrenta.

“Diversidade não é apenas respeitar nossos cantos, artesanatos e nossas pinturas, a diversidade também é compreender que existe uma distância tão grande, entre o que a sociedade pensa e o que nós pensamos. A ideia de se colocar no lugar do outro não basta, é preciso garantir que o outro fale e decida por si só, por isso a importância de ter indígenas ocupando todos os lugares como prefeitos, gestores, governadores e governadoras”.

A segunda convidada foi a doutora em antropologia social e professora de filosofia, letras e ciências humanas, pela Universidade de São Paulo, Lilia Schwarcz, que falou sobre as vulnerabilidades da população brasileira e destacou a importância da instituição.

“Eu tenho um imenso apego ao trabalho da defensoria pública, a preocupação da instituição com as minorias, de fazer um Brasil mais democratico, amplo e plural. Parte da crise da democracia que nós vivemos é o desequilíbrio entre os três poderes, a outra parte é essa contínua tentativa de calar as vozes das minorias e eu sei muito bem do papel que vocês cumprem dentro do sistema jurídico e qual a relevância de termos pessoas impactadas com uma imagem de um Brasil diferente, mais inclusivo e generoso”.

Durante os três dias de evento, houve apresentação cultural do músico de Cascavel, Luciano Dallastra que apresentou a composição feita especialmente para o congresso, “Nada de Vulgar”.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.