• Flickr
  • Facebook
  • Youtube

Defensoria

16/04/2021

“A Rede de proteção à mulher vítima de violência” é o tema da segunda aula do projeto “PROCURAME”

Nesta sexta-feira (16), aconteceu o segundo módulo do curso “O atendimento, acolhimento e encaminhamento da mulher em situação de violência”, do projeto “PROCURAME”, Programa de Capacitação e Fortalecimento das Procuradorias Municipais da Mulher. Desta vez, o tema abordado foi “A rede de proteção à mulher vítima de violência”. 

A participação no curso é exclusiva para vereadoras paranaenses e o evento acontece online, durante quatro manhãs do mês de abril. As próximas aulas ocorrerão nos dias 23 e 30 deste mês.

O encontro de hoje, realizado às 9h30, teve a participação da diretora do Departamento de Políticas de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, Grace Justa. Na reunião, a diretora  comentou sobre o funcionamento da secretaria de políticas para as mulheres, explicou como funciona a divisão de atribuições dentro do ministério e falou sobre a estrutura da rede de proteção à mulher. 

As palestras foram dadas pela psicóloga da Defensoria Pública do Estado do Paraná (DPE-PR), Marcela Ortolan, e pela assistente social  da instituição, Taísa Oliveira.

Para a psicóloga, o fato do curso ser pioneiro no Brasil é muito importante, pois esse é um tema que nem sempre é abordado de forma apropriada. “Apesar dos avanços recentes nas legislações, muitos municípios ainda não possuem uma estrutura adequada para lidar com a violência contra a mulher. É um assunto complexo e que merece ser olhado na sua diversidade para que possamos, no futuro, cessar essa violência”, explica Marcela, que destaca ainda a importância de incluir profissionais de diferentes áreas no projeto, "ter profissionais de diversas áreas, como Direito, Psicologia e Serviço Social, mostra que esse não é um problema fácil de ser resolvido e nem que é possível de ser resolvido todo pela via judicial”.

De acordo com a assistente social da instituição, Taísa Oliveira, eventos como esse são importantes para o diálogo profícuo e a capacitação técnica das Vereadoras do Paraná. “Essa parceria é necessária para dialogarmos com as representantes do executivo municipal sobre Direitos Humanos e Cidadania para o segmento das mulheres, o que com certeza é fundamental, considerando-se o atual panorama pandêmico nacional e internacional. Espero que a parceria com o executivo e legislativo seja duradoura”.

“No Curso abordei a temática da Rede de Proteção as Mulheres Vítimas de Violência no Brasil, conceituando o assunto, através do processo histórico nacional de implementação principalmente da Lei Maria da Penha e da Política Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres. Tratei também sobre a importância do trabalho técnico de assistentes sociais e equipe multidisciplinar nesse processo sociohistórico e nos equipamentos sociais”, completa Taísa.

Segundo a defensora pública e coordenadora do Núcleo de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher (NUDEM) da DPE-PR, Lívia Brodbeck, é importante que as vereadoras consigam mapear a rede de proteção à mulher. “É importantíssimo esse mapeamento para fazer o encaminhamento da mulher em situação de violência de forma adequada, evitando a revitimização e a violência institucional. Além disso, é essencial que se compreenda a importância de equipamentos especializados na proteção à mulher”, pontuou a coordenadora do núcleo. 

Sobre o projeto

O “PROCURAME” foi idealizado pela Defensoria Pública do estado do Paraná (DPE-PR), com o intuito de orientar as parlamentares na instalação de Procuradorias da Mulher nos municípios, ampliando assim a rede local de atendimento à mulher, além de incentivar o combate à violência e estimular maior participação das mulheres na vida política e nos centros de tomada de decisões.

Na primeira aula do curso, que ocorreu no dia 09/04, o tema abordado foi “O  que é violência de gênero?”, ministrada pela defensora pública e coordenadora do NUDEM da DPE-PR, Lívia Salomão Brodbeck e pela defensora pública e coordenadora do Núcleo Itinerante de Questões Fundiárias e Urbanísticas (NUFURB), Olenka Lins e Silva.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.