• Flickr
  • Facebook
  • Youtube

Defensoria

06/04/2020

Mutirão realizado pela DPE-PR em Francisco Beltrão libera 78 vagas para presos transferidos do município de Palmas

Cadeia Pública de Palmas será usada para receber detentos com suspeitas de infecção por COVID-19.

Um mutirão carcerário realizado na última terça-feira (31), pela Defensoria Pública em Francisco Beltrão, possibilitou que 78 presos da unidade local cumpram pena em prisão domiciliar, abrindo vagas para receber novos detentos. A ação foi realizada após contato feito pelo Diretor da Penitenciária de Francisco Beltrão e Coordenador Regional do Departamento Penitenciário (DEPEN), dr. Antonio Marcos Camargo de Andrade, que demonstrou preocupação com os apenados durante a pandemia do COVID-19.

De acordo com o defensor público em Francisco Beltrão, dr. Renato Martins de Albuquerque, a ideia foi criar um local de referência, com atendimento especial aos presos com suspeita de coronavírus. Para isso, a melhor alternativa seria liberar a Cadeia Pública de Palmas, transferindo os apenados do local para as vagas que foram abertas em Francisco Beltrão. "Com essa transferência, em Palmas pode-se criar uma porta de entrada para que eventuais pessoas que venham a ser presas, tenham um atendimento diferenciado, especializado e sem a propagação do coronavírus para outros reclusos. A Iniciativa foi extremamente salutar e importante", explica o defensor.

O mutirão foi realizado em conjunto com a promotora da execução penal, dra. Maria Fernanda Belentani, e o juiz da execução penal, dr. Paulo Roberto Gonçalves de Camargo Filho. "Observado um ideal comum de minimizar os efeitos da pandemia, as instituições que trabalham no sistema de justiça, às vezes de forma distinta, se reuniram e chegaram a uma solução que me parece a mais próxima do ideal", destaca dr. Renato.
Assim que finalizarem a estruturação da unidade prisional de Palmas, Francisco Beltrão passará a receber os detentos.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.