• Twitter
  • Facebook
  • Flickr
  • Youtube
  • Flicker

Defensoria

17/12/2020

DPE-PR promove acolhimento emocional de idosos em Ponta Grossa

O objetivo é contribuir para a saúde mental e qualidade de vida da terceira idade

No começo de dezembro, a Defensoria Pública do Estado do Paraná, por meio do Núcleo da Cidadania e Direitos Humanos (NUCIDH) e da Sede da Instituição em Ponta Grossa, deu início a um projeto piloto de conversas com idosas(os) em situação de isolamento social. Mesmo por vídeo chamada, a iniciativa proporciona momentos de acolhimento e valorização desse grupo, criando espaços de fala, escuta e confiança.

Para o projeto, foram selecionados residentes de duas instituições de longa permanência para idosos da cidade. Após contato com a equipe técnica dessas entidades, a proposta foi apresentada às(os) idosas(os) e, aqueles que demonstraram interesse, passaram a receber contato das servidoras do Centro de Atendimento Multidisciplinar (CAM) que atuam em Ponta Grossa.

Durante o atendimento, são abordados temas como os impactos da pandemia na sociedade e a rotina das(os) idosas(os) na instituição. São momentos semanais de distração, em que elas(es) recebem suporte emocional e podem criar laços, ainda que no contexto de distanciamento. Além disso, as conversas possibilitam a identificação de eventuais violências sofridas, o que facilita os encaminhamentos necessários.

Segundo a psicóloga do CAM, Patrícia Duda, as impressões das primeiras conversas realizadas são muito positivas. “É possível perceber uma formação de vínculo com os idosos que já passaram por mais de uma conversa”, comenta. Alguns, inclusive, chegaram a verbalizar a satisfação com esses encontros. “Hoje eu acordei triste, mas agora já estou me sentindo melhor. Essa nossa conversa me fez muito bem”, disse uma das pessoas atendidas.

Para Duda, o projeto tem grande potencial e permite uma troca humana valiosa. “O sr. A. trouxe em uma conversa uma frase de Aristóteles, que diz o seguinte: ‘Talvez eu seja enganado inúmeras vezes, mas não deixarei de acreditar que, em algum lugar, alguém merece minha confiança’. Em seguida, disse que, a partir daquele momento, eu era a pessoa que merecia a confiança dele. Foi muito emocionante”, relata a psicóloga.

O defensor público coordenador do NUCIDH, dr. Júlio Salem, também avalia positivamente a iniciativa e comenta sobre uma possível expansão: “professores do Departamento de Psicologia da UFPR já manifestaram interesse em firmar parceria interinstitucional. A perspectiva é que, na medida em que a metodologia dos trabalhos estiver consolidada e houver cooperação de outros atores, o projeto seja definitivamente implantado e se expanda para a capital e outras cidades do interior”.

O projeto, que ainda está na fase de testes, foi inspirado na atuação da Defensoria Pública do Distrito Federal. Através da Conexão 60+, a DPDF busca diminuir os impactos emocionais da pandemia na população idosa.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.